Atividades de educação ambiental atraem público do Teresina em Ação

Com a proposta de sensibilizar e levar mais informações sobre o meio ambiente para o público do Teresina em Ação, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) participou de mais uma edição do evento, realizado no sábado (18), na praça do Parque Wall Ferraz, zona norte da cidade.

Assim como nas edições anteriores, o Núcleo de Educação Ambiental (NEA) do órgão buscou trabalhar de múltiplas formas os temas ambientais. Uma das abordagens foi direcionada para o público infantil, que através de jogos educativos e oficina de pintura de desenhos e de rosto, puderam aprender mais sobre os cuidados com a natureza. Além disso, a equipe distribuiu chapéus e outros materiais retratando a Jandaia Sol, ave símbolo de Teresina.

A pequena Ana Lívia, de sete anos, participou das atividades e contou sobre o que aprendeu. “Precisamos gastar menos água, menos energia, cuidar e plantar mais árvores e também cuidar dos animais. Assim, todos vão viver melhor, por isso é importante cuidar do meio ambiente”, disse a garota.

Já os jovens e adultos foram sensibilizados através de folders informativos sobre diversas temáticas como poluição sonora, combate ao Aedes Aegypti, resíduos sólidos e preservação do verde e também com a distribuição da revista de meio ambiente da Semam, que reúne o trabalho desenvolvido pela pasta.

O Teresina em Ação é uma iniciativa da Prefeitura de Teresina, realizada por meio da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (SEMCASPI), em parceria com a TV Clube. Através de espaços públicos, o evento leva, mensalmente, dezenas de atividades e serviços para os teresinenses. Para isso, conta o engajamento de dezenas órgãos que compõem a gestão pública municipal e de outros parceiros.

Parques Ambientais estarão abertos no feriado do Dia do Trabalho (01)

Em 1º de maio é comemorado o Dia do Trabalho. Para quem deseja aproveitar a data fazendo passeios em contato com a natureza, a Prefeitura de Teresina vai manter o funcionamento normal dos parques ambientais, como forma de oferecer mais opções para a população. O Parque da Cidadania, Encontro dos Rios e Parque da Cidade são exemplos de espaços que estarão abertos.

O Parque da Cidadania (antiga Estação Ferroviária de Teresina), situado no cruzamento das avenidas Frei Serafim com Miguel Rosa, ficará aberto no horário habitual, das 5h30 às 10h e das 16h às 21h30. Além de aproveitar o local para momentos de socialização e práticas esportivas, os visitantes podem conhecer mais sobre a cultura local através da Galeria de Arte Santeira, que reúne peças entalhadas em madeira por grandes artesãos da cidade.

O Parque Ambiental Encontro dos Rios, um dos cartões postais, localizado no bairro Poti Velho, também funcionará normalmente, das 9h às 19h. O parque conta com quiosques de comercialização e divulgação do artesanato local, trilha ecológica, playground e um restaurante

Outra opção de área verde disponível para o teresinense é o Parque da Cidade, localizado no bairro Primavera, que também estará aberto à população, das 6h às 19 h. O espaço possui uma área de 17 hectares, onde são incorporadas funções de lazer, esporte e recreação, por exemplo.

Para quem deseja utilizar algum desses parques ambientais para realizar eventos e outras atividades, basta fazer uma solicitação, com antecedência, junto à Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), que fica situada na Avenida Duque de Caxias, 3520, bairro Primavera (Parque da Cidade).

Técnicos da SEMAM avaliam qualidade da água do Rio Poti

Uma equipe de técnicos da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), ligados aos diversos setores do órgão, vem realizando o monitoramento da qualidade da água do Rio Poti, trabalho que integra o Projeto Observando os Rios, iniciativa da Fundação SOS Mata Atlântica. Na manhã de hoje (26), os profissionais se reuniram para fazer mais uma análise no trecho do rio que margeia o Parque da Cidade, na zona Norte de Teresina.

Esse trecho é um dos nove pontos de observação existentes nos municípios de Teresina e Demerval Lobão, onde está incluído o monitoramento de rios e córregos. A partir das análises, esses corpos hídricos são classificados como ótimo, bom, regular, ruim e péssimo.

As atividades de monitoramento das equipes são realizadas com o uso de kits especiais disponibilizados pela Fundação, que permitem verificar parâmetros como temperatura da água, espumas, fosfatos, oxigênio dissolvido, cheiro e peixes.

A totalização desses indicadores é reunida em um sistema online de dados georreferenciados, que ficam disponíveis no site da organização: http://sosobsriospi.znc.com.br/relatorio/.

“Além disso, a equipe faz a coleta dos resíduos sólidos encontrados nas imediações do nosso ponto de observação, contribuindo ainda mais para a preservação do rio, do meio ambiente. É um trabalho realizado de forma voluntária, que conta com uma equipe empenhada e competente.  Certamente, isso contribuirá para as gerações futuras”, destaca o secretário da Semam, Olavo Braz.

Situação climática

A Semam também realiza, diariamente, o monitoramento da situação climática de Teresina, que envolve o acompanhamento do nível dos rios Parnaíba e Poti, precipitação acumulada, temperatura máxima e mínima, umidade do ar, direção dos ventos, ocorrências de queimadas e alertas de eventos meteorológicos severos.

Esses dados são agrupados e transformados em boletins diários, feitos com o suporte de informações provenientes de algumas plataformas, como Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), Agência Nacional de Águas (ANA) e Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (INPE) – Programa Queimadas – Apoio do Ministério do Meio Ambiente.

Para ter acesso aos boletins, basta acessar o site do órgão: semam.teresina.pi.gov.br

Equipe da Semam vai a Florianópolis discutir sobre energia sustentável e inovação

Com o tema “Energia Sustentável e Inovação nas Capitais”, a 16ª edição do Encontro Nacional do Fórum de Secretários de Meio Ambiente das Capitais Brasileiras (CB27), sediada em Florianópolis (SC), está contando com a participação de uma equipe da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam). O evento iniciou na noite de ontem (14) e se estende até esta terça-feira (16).

O grupo designado é composto pelo Secretário Executivo, Claudinei Feitosa, pela Gerente Executiva de Meio Ambiente, Alcina Rodrigues, e pela Analista Ambiental Thamires Morais. A participação deles vai permitir a troca de experiências com representantes de outras capitais brasileiras, com a proposta de buscar soluções viáveis para os desafios ambientais enfrentados.

“Além do debate sobre as ações e programações que estão sendo planejadas no Fórum para 2019, seremos apresentados a diversos grupos e empresas de tecnologia, que são voltadas para o desenvolvimento de sistemas e soluções tecnológicas de gestão pública e privada”, destaca Claudinei Feitosa, acrescentando que o CB27 Teresina, realizado em junho de 2018, ainda está repercutindo positivamente nesta edição do evento.

Promovido pela Prefeitura Municipal de Florianópolis, em parceria com as organizações alemãs Fundação Konrad Adenauer e ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade, o evento busca identificar conceitos inovadores na produção e distribuição de energia, geração de energia a partir dos resíduos, eficiência energética nas edificações públicas e privadas, energia sustentável no transporte e novas tecnologias para disrupção, dentre outros, e como esses conceitos podem ser incorporados no planejamento urbano.

Na oportunidade, também será discutido o papel das capitais e os benefícios da promoção de energias renováveis e eficiência energética em diversas frentes de ação, a partir de experiências de Florianópolis e outras capitais.

A programação do CB27 Florianópolis inclui também espaços como “Piches de Start-Ups de Sustentabilidade”, que contará com apresentação de trabalhos de nove empresas de base tecnológica.

Dentre as organizações convidadas para o evento estão: ACATE – Associação Catarinense de Tecnologia, BYD Brasil, Celesc – Centrais Elétricas de Santa Catarina, CERTI – Centros de Referência em Tecnologias Inovadoras, CGEE – Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, Consulado Geral Honorário de Luxemburgo em Florianópolis, Creche Hassis, Eletrosul, Engie Brasil, Fórum Brasileiro de Mudança do Clima, FOTOVOLTAICA-UFSC – Laboratório de Sistemas Solares, Governo do Estado Santa Catarina, Green Building Council Brasil, Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia, LabEEE – Laboratório de Eficiência Energética em Edificações, Plant-for-the-Planet e WRI Brasil.

Comerciantes de quiosque do Encontro dos Rios são realocados

As chuvas que têm caído de forma intensa nos últimos dias ocasionaram o alagamento de algumas áreas da cidade. Um dos locais atingidos é o Parque Ambiental Encontro dos Rios, onde se encontram alguns pontos de comercialização. Para evitar prejuízos às pessoas que ali desenvolvem suas atividades de trabalho, a Prefeitura de Teresina viabilizou, manhã de hoje (05), a realocação dos trabalhadores de um quiosque que foi atingido pelas águas, mas que, felizmente, não sofreu perdas materiais.

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) promoveu a transferência para um ponto mais seguro, na entrada do parque, no espaço utilizado como Centro de Atendimento ao Turista. “O quiosque atingido fica em um ponto mais baixo, por isso foi o único atingido, mas estamos atentos à situação dos demais”, disse o secretário da pasta, Olavo Braz, que esteve no local e auxiliou na mudança.

Antônio Filho e Maria Lúcia formam o casal de trabalhadores que desde 2014 ocupam o referido ponto de vendas, comercializando, com o apoio dos cinco filhos, produtos artesanais, como calçados, bolsa e souvenirs.

“Felizmente não perdemos mercadorias. Estamos aliviados por termos conseguido esse outro ponto, porque não teremos que suspender as vendas enquanto a situação não volta ao normal”, disseram eles, que têm essa atividade como única fonte geradora de renda para sustento de sua família.

Como medida de segurança do Parque Ambiental Encontro dos Rios, um dos pontos turísticos mais visitados da capital, a Defesa Civil de Teresina está monitoramento a área, bem como dezenas de pontos da cidade

Equipe se reúne com Niède Guidon em busca de parceria para Floresta Fóssil

Uma equipe de profissionais vinculados à Prefeitura de Teresina, Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Piauí (CREA-PI), Conselho de Arquitetura e Urbanismo (CAU-PI), além de outros profissionais renomados envolvidos no projeto de intervenção da Floresta Fóssil da capital, esteve no município de São Raimundo Nonato em busca de diálogo com a Fundação Museu do Homem Americano (FUMDHAM).

A comitiva, que foi mobilizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), se reuniu com a presidente da Fundação, a arqueóloga franco-brasileira Niède Guidon, que há mais de quatro décadas descobriu os mais importantes registros dos primeiros homens nas Américas, e que até hoje é guardiã desse tesouro arqueológico. A pesquisadora é responsável pela criação do Parque Nacional da Serra Capivara, que além de abrigar centenas de sítios arqueológicos, conta com o Museu do Homem Americano e Museu da Natureza.

A intenção da visita técnica ao Sul do estado foi propor à pesquisadora a formatação de uma parceria entre o município e FUMDHAM, voltada para o suporte nos trabalhos de paleontologia do Museu da Floresta Fóssil, já que a Fundação possui expertise para tais fins. Niède sinalizou que vai receber a proposta formal, a ser elaborada pela Prefeitura de Teresina, e colocará em deliberação junto ao conselho da Fundação tal possibilidade.

A reunião também contou com a presença de duas integrantes da FUMDHAM, Rosa Trakalo e Elizabete Buco, que há anos acompanham Niède na missão de preservar as riquezas daquela região. Ambas estiveram reunidas anteriormente com os técnicos, com o objetivo de iniciar esse diálogo.

Para o secretário da SEMAM, Olavo Braz, o suporte da Fundação poderá ser elementar para o museu.  “A  intenção é oferecer uma exposição de conteúdos de forma pedagógica, utilizando a tecnologia para atrair os visitantes e chamar atenção para preservação da nossa riqueza paleontológica”, disse ele, que esteve à frente dessa visita técnica.

O gestor foi acompanhado da coordenadora de Captação de Recursos da Secretaria Municipal de Planejamento e Coordenação (SEMPLAN), Carmen Neudélia; do coordenador da Central de Licitações do Município e Conselheiro do CREA-PI, João Emílio Lemos; do arquiteto da SEMAM, Júlio Medeiros; do também Conselheiro do CREA-PI, Valdemar Machado; do conselheiro do CAU-PI, João Alberto Monteiro; do arquiteto cearense José Sales, envolvido no projeto de intervenção da Floresta Fóssil; e do diretor de produção do Museu da Natureza, Sérgio Santos, profissional que integra a equipe do renomado diretor artístico e curador Marcello Dantas.

Visita aos museus e sítios arqueológicos

Durante a passagem pela região do Parque Nacional da Serra da Capivara, os profissionais visitaram também as riquezas locais, como o sítio arqueológico Toca do Boqueirão da Pedra Furada, Cerâmica da Serra da Capivara e os museus ali instalados.

O Museu da Natureza, por exemplo, utiliza tecnologia de ponta, aliando interatividade e realidade virtual para contar sobre a criação do universo, com foco nas mudanças climáticas. A intenção é buscar a aplicação de algo similar no Museu da Floresta Fóssil, a fim de valorizar a exposição do raro acervo paleontológico existente, composto por troncos permineralizados que permanecem em posição de vida (vertical), datando de 280-270 milhões de anos atrás.

Sobre a Floresta Fóssil

Para oferecer uma estrutura para o visitante, a Prefeitura de Teresina vai realizar uma intervenção no Parque Municipal da Floresta Fóssil, resultado de uma parceria com CAF- Banco de Desenvolvimento da América Latina. Com a reforma, o Parque contará, por exemplo, com um Museu de Paleontologia, Centro de Apoio ao Visitante e um Bloco de Administração. A obra, cuja licitação está sendo finalizada, receberá um investimento de aproximadamente R$ 15 milhões.

A área é tombada desde 2010 pelo Ministério da Cultura. Mas ainda em 1993, através de um Decreto Municipal, foi assegurado como Parque Municipal da Floresta Fóssil do Rio Poti. O local guarda informações importantes que representam fontes de pesquisa para estudiosos, uma vez que fornece dados de como a paisagem e o clima foram modificados ao longo do tempo no Piauí.

Núcleo de Educação Ambiental realiza atividades no Dia Mundial da Água

Elemento natural imprescindível para as diversas formas de vida no planeta, a água é um recurso finito se levarmos em consideração os impactos gerados pelos seres humanos. Nesse sentido, chamar atenção para essa problemática é o principal foco do Dia Mundial da Água, celebrado hoje, 22 de março. Durante este dia, o Núcleo de Educação Ambiental da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) integra algumas atividades alusivas à data.

O primeiro momento educativo aconteceu às 8h, com o lançamento do projeto “Para Cada Criança Uma Árvore”, de autoria da Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente da Polícia Civil do Piauí, ocorrido no Centro de Educação Ambiental (CEA), que também apoia o projeto.

A ação inicial envolveu cerca de 30 pequenos alunos de uma escola da rede privada de ensino, que tiveram uma aula prática sobre meio ambiente. Para reforçar o trabalho educativo, a garotada fez um passeio pela Floresta Fóssil e plantou mudas de árvores frutíferas na área do CEA.

“A proposta é incentivar o cultivo de árvores desde a infância, para que os pequenos cidadãos entendam a importância disso para nossa sociedade, para nosso ecossistema. Destaco também que a sociedade solicite mudas de árvores junto a Prefeitura de Teresina, que faz esse trabalho de doação. Queremos arborizar ainda mais a cidade, porque isso vai nos trazer diversos benefícios, como mais sombreamento, beleza, purificação do ar e redução de temperatura”, destacou a Delegada de Proteção ao Meio Ambiente, Edenilza Viana.

Em seguida, às 10 horas, a equipe da SEMAM participou de uma palestra promovida pelo Centro Integrado de Reabilitação (CEIR), direcionada para os colaboradores e pacientes assistidos, que receberam material educativo para reforçar o que foi socializado durante esse momento.

Com a temática “Uso Consciente da Água”, o espaço de sensibilização foi realizado com o apoio do analista ambiental Caio Barros, da empresa Águas de Teresina, que abordou sobre diversas problemáticas que envolvem o assunto.  Às 15h30, acontece outra palestra para trabalhar o referido tema, que será voltada para o mesmo público.

Descarte correto do óleo de fritura é tema de palestra no mercado do Dirceu I

Comumente descartado de forma inadequada, o óleo vegetal saturado, mais conhecido como óleo de fritura ou de cozinha, é um resíduo que pode ocasionar danos ao meio ambiente, caso não receba a devida destinação. O assunto foi tema de uma palestra realizada com os permissionários do Mercado Público do Dirceu I (zona Sudeste), que aconteceu na tarde de ontem, 14. O local possui uma praça de alimentação, grande consumidora do óleo.

O momento de sensibilização foi organizado pelo Núcleo de Educação Ambiental (NEA) da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), em parceria com a Indama, empresa especializada na coleta e reciclagem desse tipo resíduo.

A equipe do NEA frisou que, além de contribuir com meio ambiente, o gesto de dar a destinação adequada para o óleo vegetal saturado pode gerar renda, já que existem empresas que fazem a aquisição desse resíduo. O ato também auxilia na prevenção do entupimento de canos, que tende a prejudicar o trabalho dos comerciantes e exigir gastos financeiros para o reparo.

Nesse sentido, o gerente comercial da referida empresa, Jefferson Sales, reforçou que o óleo de fritura pode ser reciclado e reutilizado, e também revendido, o que garante emprego e renda para várias famílias. “Fornecemos certificado ou declaração ao cliente, atestando sua contribuição com esse trabalho de dar o destino adequado ao óleo usado na preparação dos alimentos”, completou.

“Eu sempre me atentei às questões ambientais. Acredito que pequenas mudanças de comportamento podem ajudar a trazer muitos benefícios para todos, como essa questão de dar o destino ideal para o óleo usado no preparo dos alimentos. Gostei demais da palestra, e acredito que os demais participantes também”, disse o permissionário conhecido como “Índio”.

Outra palestra nesse sentido foi realizada no início da semana com os permissionários do Mercado São José (Mercado Velho). O local possui empreendedores que utilizam grandes quantidades de óleo vegetal na preparação dos alimentos ali comercializados.

Como funciona o trabalho de coleta

A empresa em questão é uma das pioneiras no Nordeste na coleta desse tipo de resíduo, atendendo mais de 500 empreendedores do setor gastronômico de Teresina, como restaurantes, bares, pubs, supermercados e shoppings.

Ao se cadastrar, o estabelecimento recebe um ou mais tambores/bombonas com a capacidade de 50 litros cada, equipado com tampa que possui borracha de vedação e lacre para evitar vazamentos. Além disso, no ato da troca de recipientes cheios por vazios, a empresa se responsabiliza por entregar tambores devidamente higienizados ao empreendedor.

População participa de discussão sobre os impactos ambientais da nova ponte sobre Rio Poti

Com significativa participação popular, a Prefeitura de Teresina realizou, na Associação de Moradores do bairro Água Mineral, uma audiência voltada para as discussões relacionadas aos impactos ambientais da construção da nova sobre o Rio Poti. A ponte interligará o referido bairro, nas imediações do balão da Coca-Cola, à Universidade Federal do Piauí (UFPI), próximo ao Setor de Esportes.

Durante a audiência, organizada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM), a equipe da empresa responsável pela elaboração do projeto executivo de implantação da ponte socializou os trabalhos desenvolvidos, o que inclui o Estudo de Impacto Ambiental (EIA) e Relatório de Impacto Ambiental (RIMA).

O presidente da Associação de Moradores do bairro Água Mineral, João de Deus Gomes, que acompanhou a discussão, pontuou que a obra tende a trazer mais pontos positivos do que negativos. “Essa ponte certamente vai trazer mais desenvolvimento para nossa comunidade. Eu, inclusive, trabalho na zona Leste e sei o quanto isso vai ajudar na minha mobilidade, assim como de milhares de pessoas que precisam se deslocar diariamente para essa região”, disse a liderança comunitária.

Os trabalhos apresentados apontam efeitos ambientais que serão causados, por exemplo, na fauna, flora, ar, solo, água e vegetação. No aspecto da vegetação, os impactos se darão com a retirada de cerca de 70 árvores, que serão devidamente compensadas com a criação de um parque ambiental.

“Como forma de compensar ambientalmente a supressão dessas árvores, faremos a inserção de espécies semelhantes, que serão plantadas em um novo parque ambiental, a ser criado nas imediações da área intervenção da obra. O terreno a ser destinado para esse parque possui aproximadamente cinco hectares”, destaca o secretário da SEMAM, Olavo Braz.

Além de gestores e técnicos da Prefeitura de Teresina, vereadores e diversos representantes de entidades públicas também marcaram presença durante a audiência, a exemplo do IBAMA, EMBRAPA, SEMAR, UFPI, CREA-PI, CAU-PI e Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente.

Conclusão do estudo

Por meio das conclusões do estudo foi destacado que os impactos positivos terão longa duração, enquanto os impactos negativos, em sua maioria, são de baixa e média duração e apresentam-se, principalmente, na fase de instalação.

A nova ponte sobre o rio Poti vai contribuir para o aumento do número de empregos, seja dos operários da construção das vias em razão da abertura de vagas de trabalho, seja em razão do surgimento das empresas beneficiadas.

Contribuirá, ainda, para o aumento da arrecadação pública, do comércio legal, para o aumento da demanda de bens e serviços, da qualidade de vida de seus usuários com a facilitação do deslocamento entre os bairros, assim como trará melhoria nas condições de saúde e educação da população que poderá ter melhor acesso aos hospitais e escolas, como o acesso mais rápido e fácil ao campus da UFPI.

Assentamento Limoeiro recebe palestra sobre temáticas ambientais

O conhecimento é uma das chaves para despertar o olhar para relação homem-natureza. Com a proposta de sensibilizar e levar mais informações para as famílias que vivem no Assentamento Limoeiro, localizado na zona rural Sudeste de Teresina, a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (SEMAM) e a Fundação Municipal de Saúde (FMS) se uniram, na manhã desta terça-feira (12), para realizar uma palestra na comunidade.

A equipe de palestrantes foi composta por técnicos do Núcleo de Educação Ambiental da SEMAM e da Gerência de Vigilância e Saúde Ambiental e Saúde do Trabalhador da FMS. Os profissionais discutiram sobre diversas temáticas ambientais.

O tema água, por exemplo, foi um dos mais trabalhados, com abordagens sobre a qualidade do líquido consumido, doenças transmitidas por água contaminada e a importância de economizar esse recurso natural.

A preservação do nosso verde também foi um dos assuntos discutidos com os moradores, que também se envolveram para realizar um plantio simbólico.

O morador Cosme Crispim, que há mais de 10 anos vive no assentamento, considera que essa conversa foi importante para esclarecer diversas dúvidas da comunidade. “Acredito que muitos não sabiam sobre as coisas que foram conversadas nesse momento. É sempre bom receber mais informação. Ficamos contentes em receber essa palestra”, disse.

Para reforçar o que foi debatido durante esse momento, a equipe da Prefeitura de Teresina fez a distribuição de mudas de plantas frutíferas, materiais informativos e hipoclorito de sódio para os moradores.