Praça da Bandeira é rearborizada com mudas de ipês e oitis

Plantio Pça da Bandeira (3)

A Praça Marechal Deodoro da Fonseca, conhecida como Praça da Bandeira, marco zero de Teresina, recebeu uma ação de rearborização na manhã de hoje (04). A área agora conta mais 60 mudas de espécies nativas, entre oitis e ipês. Diversas personalidades e gestores, a exemplo do prefeito Firmino Filho, participaram do plantio, uma forma de compensar a supressão de duas árvores que existiam em frente à Secretaria de Estado de Cultura (Secult).

O chefe do executivo municipal destacou que a Prefeitura de Teresina tem buscado intensificar as ações e projetos que contribuam para tornar nossa cidade ainda mais verde.

“Com o processo de urbanização, a tendência é que a quantidade árvores seja reduzida, mas é preciso que busquemos estratégias para reduzir os impactos disso. É um desafio para melhorar nossa qualidade de vida, nosso bem estar, e as árvores são instrumentos importantes nesse sentido. O projeto Teresina Mais Verde, por exemplo, tem contribuído com arborização e rearborização da nossa cidade. Estamos agora buscando construir um Plano Municipal de Arborização, para que, assim, possamos otimizar nosso trabalho e tornar a nossa cidade ainda mais verde”, pontua Firmino Filho, que fez o plantio de uma muda juntamente com o padre Tony Batista.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Olavo Braz, esclarece que, de acordo com um cálculo, nessa compensação ambiental seria necessário plantar seis mudas para suprir a retirada do oiti e da mangueira que existiam em frente à Secult, mas a Prefeitura decidiu fazer uma ação maior. “Para cada árvore nativa que se retira, no caso oiti, é preciso plantar quatro para compensar, já para frutífera, a exemplo da mangueira, devem ser plantadas outras duas. Mas resolvemos plantar dez vezes mais a quantidade necessária e rearborizar essa praça, que é o marco zero da nossa cidade”, explica o gestor.

As mudas utilizadas nesse plantio foram cultivadas nos viveiros municipais, que são de responsabilidade da Coordenação de Arborização de Teresina, vinculada à SDU Centro/Norte. O coordenador Clóvis Júnior afirma que a rearborização de ruas, avenidas, parques e praças estão entre as prioridades da Prefeitura de Teresina, e que, além disso, também incentiva a população a manter suas calçadas, quintais e jardins arborizados.

Projeto Teresina Mais Verde

O Teresina Mais Verde, desenvolvido desde 2013, tem a proposta de intensificar a arborização e rearborização da nossa capital. O projeto tem a intenção de resgatar o que se tinha no passado, como quintais e calçadas sombreadas, praças bem cuidadas e espécies nativas e frutíferas preservadas.

Com o auxílio do Caminhão Verde, que percorre os bairros de Teresina, já foram inseridas mais 330 mil mudas na capital. A meta, até 2020, é plantar 880 mil mudas.

Praça da Bandeira vai receber plantio de 60 mudas nesta quinta-feira (04)

O marco zero de Teresina, a Praça Marechal Deodoro da Fonseca, conhecida como Praça da Bandeira, vai ficar ainda mais arborizada a partir desta quinta-feira (04). A área vai receber o plantio de 60 mudas nativas, que serão inseridas como forma de compensação ambiental pela retirada de duas árvores que existiam em frente à Secretaria de Estado da Cultura (Secult), nas imediações da praça.

A ação é uma parceria entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Coordenação de Arborização de Teresina e Secretaria de Estado da Cultura (Secult) e deve reunir diversos gestores e personalidades locais, que serão homenageados e ajudaram a realizar esse plantio.

O gestor da Semam, Olavo Braz, destaca que a Prefeitura de Teresina tem buscado intensificar as ações de arborização e rearborização por toda a cidade. “A Prefeitura de Teresina tem se empenhado no sentido de tornar nossa cidade cada vez mais verde, garantindo mais conforto e bem estar para quem vive aqui”, pontua o gestor.

Essa é mais uma das ações que integram o projeto Teresina Mais Verde, desenvolvido desde 2013 com a proposta de intensificar a arborização da nossa capital, contribuindo para manter o título de “Cidade Verde”. A intenção é resgatar o que se tinha no passado, como quintais e calçadas sombreadas, praças bem cuidadas e espécies nativas e frutíferas preservadas.

O projeto, com o auxílio do Caminhão Verde, que percorre os bairros de Teresina, já inseriu mais 330 mil mudas em Teresina. A meta, até 2020, é plantar 880 mil mudas pela cidade.

Carnaubeiras da Avenida Marechal serão replantadas e compensadas

Após um acordo feito junto ao Ministério Público do Piauí (MP-PI), através do Núcleo de Cidadania e Meio Ambiente da 30ª Promotoria de Justiça de Teresina, está sendo feito, neste fim de semana, o deslocamento de 14 carnaubeiras existentes no canteiro central da Avenida Marechal Castelo Branco. As árvores serão replantadas no bosque do Shopping Rio Poty, empreendimento que solicitou tal medida com a intenção de otimizar o acesso ao centro de compras. Além disso, outras 9 carnaubeiras serão plantadas.

O Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) estabeleceu que o referido shopping se comprometesse a doar, até o dia 31 de maio deste ano, 56 mudas de espécies arbóreas nativas (não frutíferas) com, no mínimo, 1,5 m de altura, em excelentes condições fitossanitárias, a serem entregues na sede da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam).

O secretário da pasta, Olavo Braz, adianta que o plantio dessas mudas será feito juntamente com a compensação do Corso de Teresina, que deve acontecer na próxima sexta-feira (05), às 8 horas, em um terreno na Rua 11 de junho, uma importante via de ligação entre bairros da zona Sul da cidade, como o Promorar e Parque Piauí.

“Somada a essa compensação ambiental, ficou acordado ainda que será feita a recuperação de uma voçoroca, pontos de erosão, localizada em frente ao Shopping, mais especificamente na margem esquerda do Rio Poti. A elaboração do Programa de Recuperação de Área Degradada e demais obras de engenharia e recuperação e estabilização da erosão deve ser feita com o acompanhamento da Semam”, acrescenta o secretário Olavo Braz.

Compensação ambiental do Corso será feita em área na zona Sul

ec011b76c2

Uma área localizada na Rua 11 de junho, uma das principais via de ligação entre bairros como Promorar e Parque Piauí, na zona Sul de Teresina, foi escolhida para receber o plantio de 250 mudas de árvores como forma de compensar a emissão de CO2 ocasionada pela realização do Corso deste ano. A ação acontece no dia 05 de maio, a partir das 8 horas, e será resultado de um trabalho entre a Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Coordenação de Arborização de Teresina e Superintendência de Desenvolvimento Urbano Sul.

A quantidade de mudas plantadas nessa compensação ambiental foi determinada a partir de um cálculo baseado no protocolo de gases de efeito estufa do instituto CO2 Zero. Para obter os dados do volume de gases emitidos, a Semam, em parceria com a ONG Mais Vida, realizou a inspeção dos veículos, barracas e camarotes durante o Corso, além de realizar a entrega de material educativo.

Segundo o gestor da Semam, Olavo Braz, a ação deve mobilizar a comunidade residente nas imediações do terreno, a fim de sensibilizá-la para preservar o espaço. “A intenção é que a comunidade se sinta pertencente a esse espaço, que cuide para ele se torne uma bela área verde. Para isso nós vamos plantar, principalmente, espécies frutíferas”, destaca o secretário, que já esteve visitando a área e dialogando com moradores.

O superintendente da SDU Sul, Paulo Lopes, e o Coordenador de Arborização de Teresina, Clóvis Júnior, também visitaram o espaço e estão finalizando os detalhes para realizar a compensação ambiental nesse local.

Na terça-feira (18), a Superintendência designou uma equipe para realizar os serviços de capina e varrição do entorno da área, além de ter reforçado a fiscalização para evitar que o local continuasse sendo usado para o descarte irregular de lixo.

Fundação SOS Mata Atlântica apresenta projeto de monitoramento da água dos rios em Teresina

A Fundação SOS Mata Atlântica encerrou no fim da manhã hoje (08) a rodada de apresentações do projeto Observando os Rios, que incentiva a população a formar grupos voluntários de monitoramento da qualidade da água dos rios de suas cidades. Nesse contato inicial, os participantes conheceram a metodologia, os dados e foram convidados a integrar esse projeto. As apresentações aconteceram também na quinta (05) e sexta-feira (06), na Central de Artesanato Mestre Dezinho e Uninovafapi.

A próxima etapa, prevista para no final de maio, será destinada à capacitação dos voluntários, que receberão kits especiais para realizar o trabalho de coleta e análise mensal da água dos nossos rios.

“Esse projeto é, também, uma forma de educar, de mobilizar, de sensibilizar a população a se voltar para os seus rios, para que tenham a sensação de pertencimento quanto a eles. Eles têm uma história a nos contar e precisamos nos atentar a isso. Estamos vindo a Teresina, com esse projeto, trazendo apenas as ferramentas, porque quem conhece os rios que banham a cidade são as pessoas que moram aqui. Esse percurso de sensibilização é longo, mas é necessário. Temos exemplos de rios que saíram da qualidade de péssimo para bons”, destaca César Pegoraro, educador ambiental da Fundação SOS Mata Atlântica, que ministrou três palestras na capital.

Localmente, a iniciativa conta com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam). O secretário executivo da pasta, Leonardo Madeira, considera que esse projeto é forma de mostrar que a gestão de uma cidade não é de responsabilidade apenas dos governantes, mas de todos, da sociedade civil organizada e demais cidadãos. “É um projeto que permite que todos tenham a oportunidade de serem protagonistas nesse processo de observação dos rios. É uma forma também de cobrar providências. Nós, da Semam, nos colocamos à disposição e estamos comprometidos com a causa”, pontua o gestor.

Um dos participantes desse ciclo de apresentações do projeto foi Richarle Silva, que disse ter ficado empolgado com a oportunidade de integrar a iniciativa. “Com certeza eu vou querer participar desse projeto. Estou empolgado e espero muitas as pessoas se conscientizem da importância que é cuidar e observar nossos rios. Se cada um fizer sua parte muita coisa pode mudar”, conta.

O projeto Observando os Rios, que conta com o patrocínio da Ypê, tem como objetivo formar 10 grupos de monitoramento da qualidade da água em cada um dos 17 estados da Mata Atlântica. Atualmente, são 212 grupos de monitoramento que analisam a qualidade da água em 257 pontos, 197 rios, em 80 municípios dos estados de SP, RJ, ES, BA, MG, PB, PE, AL, CE, SC, PR, RN e DF, envolvendo cerca de 3,4 mil pessoas

METODOLOGIA DE MONITORAMENTO DA ÁGUA

A metodologia de monitoramento por percepção da qualidade da água foi especialmente elaborada para a Fundação SOS Mata e que tem como base o Índice de Qualidade da Água (IQA). Para a medição dos parâmetros definidos no IQA, a ONG desenvolveu um kit de análise que é utilizado em campo por voluntários do projeto. No total, são avaliados 16 parâmetros, como temperatura da água, turbidez, odor e peixes.

A totalização dos indicadores medidos resulta na classificação da qualidade da água, em uma escala que varia entre: ótima, boa, regular, ruim e péssima. Esses indicadores apurados são reunidos em um sistema online de dados georreferenciados, que totaliza e disponibiliza o resultado obtido em cada ponto de coleta pelos grupos de monitoramento em tempo real.

Para mais informações sobre o projeto, acesse https://www.sosma.org.br/

SOS MATA ATLANTICA

Educação ambiental: mais de 7 mil alunos de escolas municipais serão contempladas com projeto

Apresentação Jandaia Sol  (10)

A ave símbolo de Teresina, Jandaia Sol, deu nome a um projeto de educação ambiental que deve ser levado para dez escolas municipais, contemplando 7.100 alunos na faixa etária de 7 a 12 anos. O foco será o combate ao tráfico de animais silvestres e suas zoonoses. De autoria da Superintendência do Ibama no Piauí, o projeto será realizado em parceria com município, por meio das pastas de educação e meio ambiente. O lançamento oficial com os órgãos envolvidos aconteceu na manhã de hoje (05) e contou com a presença do prefeito Firmino Filho.

O projeto consiste em habilitar professores da rede pública de ensino de Teresina para atuarem como difusores e multiplicadores nas ações de conscientização, fundamentais ao combate do tráfico de animais silvestres e à prevenção das principais doenças transmitidas por estes animais ao homem. Os educadores contarão com um material didático, composto por gibis, vídeos, cd, chapéus de EVA e joguinhos educativos para sensibilizar seus alunos em sala de aula.

O chefe do executivo municipal considera que essa temática do meio ambiental é essencial, ainda mais quando é voltada para as crianças. “Essa é uma temática fundamental e que precisa ser cada vez mais incorporada nas escolas, daí a importância desse projeto. As questões ligadas ao meio ambiente fazem parte dos desafios do século XXI, dos desafios da cidade, porque é sobre qualidade de vida”, destacou Firmino Filho.

Para o técnico ambiental do Ibama e um dos responsáveis pelo projeto, Fabiano Barbosa, é preciso desconstruir a ideia de quem ama um animal prende-o em uma gaiola. “Precisamos desfazer essa ideia de quem ama um animal prende-o em uma gaiola. Nós não temos fiscais para coibir cada pessoa que faz isso, mas podemos tentar mudar essa realidade através da educação, através dos professores trabalhando isso em sala de aula”, disse.

Segundo o gestor da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Olavo Braz, a realidade nacional é preocupante com o risco iminente de extinção de espécies importantes da nossa fauna, além do número de doenças transmitidas pela aproximação do homem com os animais silvestres ou a invasão e destruição do seu meio natural.

Das dez escolas selecionadas, oito estão situadas na zona Norte, considerando que essa é a região onde existe a maior quantidade de parques ambientais e áreas verdes da cidade. As outras duas são da região Leste e Sul de Teresina.

PROJETO INCLUI PRÊMIOS PARA ALUNOS E PUBLICAÇÃO DE LIVRO

Todas as intervenções pedagógicas nas escolas pelos professores com o material didático do projeto devem balizar os alunos a produzirem redações e desenhos referentes a essa temática ambiental.

Ao final do projeto, serão selecionadas três redações e três desenhos. Os seis alunos autores desses trabalhos serão premiados com tablets.

Os demais trabalhos dos participantes devem ser utilizados pela escola para realização de exposições, dos quais também serão selecionados 60 para serem publicados no livro Jandaia Sol, ave que dá nome ao projeto através de um decreto municipal de 1999.

A previsão é que o projeto seja executado entre os meses de abril e outubro. O lançamento do livro deve acontecer dia 04 de outubro, Dia Mundial de Proteção aos Animais.

Apresentação Jandaia Sol  (6)

Água dos rios Poti e Parnaíba será monitorada por voluntários

0e2e00b107

A qualidade da água dos rios Poti e Parnaíba será monitorada por grupos voluntários. A iniciativa é da Fundação SOS Mata Atlântica, que estará em Teresina nos próximos três dias, 06, 07 e 08, para apresentar o projeto “Observando os Rios”, que incentiva a população a formar equipes voluntárias de monitoramento da qualidade da água dos rios de suas cidades por meio de kits especiais. Nesta quinta-feira, a apresentação acontece no auditório da Central de Artesanato Mestre Dezinho (Praça Pedro II), das 18 às 21 horas.

Na oportunidade, os participantes conhecerão a metodologia, os dados e serão convidados a integrar o projeto, formando os grupos para realizar o trabalho. Na segunda etapa, que será realizada em maio, esses voluntários passarão por uma capacitação, onde serão entregues os kits para dar início ao trabalho de coleta e análise mensal da água dos nossos rios.

A ação conta com o apoio da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), que está mobilizando os cidadãos, organizações sociais e comunidades acadêmicas de instituições que possuem áreas de estudo ligadas ao meio ambiente.

O secretário da Semam, Olavo Braz, considera que esse projeto deve contribuir para que a população se sensibilize e se envolva no cuidado com a água, bem essencial à nossa sobrevivência.

Malu Ribeiro, especialista em recursos hídricos da Fundação SOS Mata Atlântica, ressalta a importância da participação da sociedade na iniciativa, que permite intensificar e ampliar o trabalho realizado pela ONG no resgate dos rios, córregos e nascentes do país. “A formação de uma rede de cidadãos para monitorar a qualidade da água dos rios brasileiros é um instrumento de engajamento e mobilização por avanços no saneamento”, destaca.

Os interessados em participar da palestra devem se cadastrar através do link https://goo.gl/48G8HR

Para mais informações sobre o projeto, acesse https://www.sosma.org.br/

PROGRAMAÇÃO

*DATA: 06/04 (quinta-feira) – das 18h às 21h
Local: CENTRAL DE ARTESANATO – Auditório Mestre Expedito (Praça Pedro II, Centro).

*DATA: 07/04 (sexta-feira) – das 10h às 13h
Local: UNINOVAFAPI – Rua Vitorino Orthiges Fernandes, 6123 (Planalto Uruguai).

*DATA: 08/04 (sábado) – das 10h às 13h
Local: CENTRAL DE ARTESANATO – Auditório Mestre Expedito (Praça Pedro II, Centro).

SOS Mata Atlântica vem a Teresina mobilizar população para monitorar água dos rios

A Fundação SOS Mata Atlântica estará em Teresina na próxima semana, entre os dias 06 e 08 de abril, para apresentar o projeto “Observando os Rios”, que incentiva a população a formar grupos voluntários de monitoramento da qualidade da água dos rios de suas cidades por meio de kits especiais. Na oportunidade, cidadãos e organizações conhecerão a metodologia, os dados e serão convidados a integrar o projeto, formando equipes para fazer coleta e análise da água dos rios Parnaíba e Poti.

Localmente, a ação está sendo apoiada pela Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), que está mobilizando os cidadãos, organizações sociais e comunidades acadêmicas de instituições que possuem áreas de estudo ligadas ao meio ambiente.

Para o secretário da Semam, Olavo Braz, essa é uma iniciativa de grande relevância porque possibilita que a comunidade se envolva no cuidado com a água, que é um bem comum.

“Nesse primeiro contato, uma equipe capacitada, feita por educadores e especialistas, vai explanar como esse projeto funciona e convidar a população a fazer parte dessa iniciativa. A segunda parte é a capacitação, que será feita em outro momento, onde as equipes receberão os kits para dar início ao trabalho e coleta da água dos nossos rios”, explica.

Malu Ribeiro, especialista em recursos hídricos da Fundação SOS Mata Atlântica, ressalta a importância da participação da sociedade na iniciativa, que permite intensificar e ampliar o trabalho realizado pela ONG no resgate dos rios, córregos e nascentes do país. “A formação de uma rede de cidadãos para monitorar a qualidade da água dos rios brasileiros é um instrumento de engajamento e mobilização por avanços no saneamento”, destaca.

Os interessados em participar da palestra devem se cadastrar através do link https://goo.gl/9mgLhN

Para mais informações sobre o projeto, acesse https://www.sosma.org.br/

PROGRAMAÇÃO

DATA: 06/04 (quinta-feira) – das 18h às 21h
Local: Central de Artesanato Mestre Dezinho – Auditório Mestre Expedito (Praça Pedro II, Centro).

DATA: 07/04 (sexta-feira) – das 10h às 13h
Local: Uninovafapi – Rua Vitorino Orthiges Fernandes, 6123 (Planalto Uruguai).

DATA: 08/04 (sábado) – das 10h às 13h
Local: Central de Artesanato Mestre Dezinho – Auditório Mestre Expedito (Praça Pedro II, Centro).

Dia Regional da Árvore é celebrado com plantio de ipês em escola municipal

Os alunos do 6º ano da Escola Municipal Eurípedes de Aguiar, localizada no bairro Marquês, zona Norte de Teresina, tiveram uma aula diferente na manhã de hoje. A turma participou de uma ação em homenagem ao Dia da Árvore, celebrado oficialmente nas regiões Norte e Nordeste no dia 24 de março. Além do plantio de ipês na escola, eles receberam material educativo e foram sensibilizados sobre a preservação do meio ambiente.

A iniciativa foi da Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), por meio do Núcleo de Educação Ambiental (NEA), e da Coordenação de Arborização de Teresina, além de contar com o suporte dos educadores da unidade de ensino.

Durante a atividade, foram plantados três ipês, sendo dois brancos e um amarelo, de aproximadamente um metro de altura. Os alunos se comprometeram em cuidar devidamente das árvores. Toda semana um pequeno grupo ficará responsável por fazer esse acompanhamento.

O secretário executivo da Semam, Leonardo Madeira, participou da ação e conversou com a turma, dando orientações sobre a necessidade de cuidar do nosso meio ambiente.

“Há 50 anos, por exemplo, a nossa cidade era bem mais agradável, mas com o seu crescimento foram sendo retiradas árvores das nossas ruas, dos nossos quintais. Então é preciso que façamos esse replantio. Precisamos nos proteger em uma cidade como a nossa, em que a maior parte do ano tem altas temperaturas. Isso traz desconforto para nós. Então essa ação vem para conscientizar sobre a importância de cuidar do nosso meio ambiente, das nossas árvores, do quanto elas são fundamentais no nosso bem estar”, disse o gestor.


DEMAIS REGIÕES CELEBRAM EM SETEMBRO

Nas demais regiões do país, o Dia da Árvore é celebrado no dia 21 de setembro. Nos estados do Norte e Nordeste, a data é comemorada no dia 24 de março, em razão da diversidade climática dessas áreas do Brasil.

A data tem por objetivo difundir ensinamentos sobre a conservação das florestas e estimular a prática de tais ensinamentos, bem como divulgar a importância das árvores no progresso da Pátria e no bem estar dos cidadãos.

Dia da árvore (1)

Hoje, Dia da Água, órgãos e entidades se reúnem para debater a temática

Comemorado mundialmente hoje, 22 de março, o Dia da Água está sendo marcado em Teresina com a realização do Seminário “Água: bem comum, responsabilidade nossa”, que acontece durante toda manhã no auditório do DNIT, na zona Leste da capital. Entidades, e órgãos do poder público municipal, estadual e nacional se reuniram para debater a temática.

Sendo uma iniciativa da Fundação Nacional da Saúde (Funasa), por meio da Superintendência Estadual no Piauí (Suest/PI), o evento tem como objetivo mobilizar as instituições da sociedade civil para refletir e discutir sobre a relação homem-ambiente, focando em pontos como uso, conservação, destino e proteção da água, bem como o desenvolvimento de ações proativas de sustentabilidade e preservação dos nossos recursos hídricos.

O secretário municipal de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Semam), Olavo Braz, compôs a mesa de abertura do seminário e ressaltou em seu espaço de fala a necessidade de levantar essa discussão de modo mais constante.

“A realização desse debate, hoje, Dia Mundial da Água, é importante, afinal, água é essencial à nossa sobrevivência. E é por esse mesmo motivo que convido para que nos organizemos mensalmente para levar essa discussão para as escolas, por exemplo. Sugiro que, pelo menos uma vez ao mês, façamos ações de educação ambiental. A Prefeitura de Teresina se coloca à disposição”, sugeriu o gestor.

O presidente nacional da Funasa, Henrique Pires, esteve presente no evento e destacou sobre os obstáculos enfrentados pelo país no que diz respeito à crise hídrica e desperdício de água. “A conscientização é importante e os gestores têm um papel fundamental nessa questão, mas é preciso que toda a sociedade abrace essa causa”, pontua.

A programação do Seminário é composta também por Conferência Magma e diversas palestras voltadas para apresentação de problemáticas e experiências exitosas. A Fundação Municipal de Saúde, através do Núcleo de Vigilância da Qualidade da Água, se fez presente facilitando uma das palestras.

Além da Prefeitura de Teresina, a FUNASA no Piauí mobilizou para o evento as Universidades Federal e Estadual do Piauí (UFPI e UESPI), Cáritas do Brasil, Arquidiocese de Teresina – Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Secretaria Estadual de Saúde (SESAPI), AGESPISA, Federação das Indústrias do Estado do Piauí (FIEPI) e Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (DNIT).

A programação da Semana da Água, iniciada ontem (21), encerra amanhã com a realização de uma audiência pública na Assembleia Legislativa, às 8h30min.

MESA ABERTURA